Intervenção militar ou intervenção popular?

Vamos falar de intervenção militar, que está tão em voga hoje em dia. Muita gente, cansada da palhaçada dos políticos, de toda a corrupção, do caos que o país vive hoje, acha que se o exército tomasse o poder seria uma solução para colocar a “casa em ordem”. Geralmente essas pessoas ou são jovens e não viveram o período militar e são iludidas a acreditar que na época não havia uma ditadura, que quem se ferrava era só os “baderneiros de esquerda”, e que o país era muito melhor para se viver, que havia “ordem”, etc. Ou então são pessoas mais velhas de direita que descaradamente apoiam uma ditadura militar por apoiarem toda a barbaridade que foi cometida.

Vamos falar dos mais jovens. Essa defesa da ditadura militar vem atrelada a um crescimento do pensamento de direita entre a juventude. Essas pessoas, desiludidas com o governo do PT, que para elas representa o socialismo (não tem ideia do que é socialismo, pois se tivessem saberiam que o PT não tem nada a ver com ele), são facilmente cooptadas pelos novos grupos de direita que estão surgindo, com um apelo aos jovens (MBL, estou falando de você). Apesar de o PT realmente ter decepcionado em muitos pontos, foi graças a ele que tivemos o fim da miséria extrema no Brasil (eu estou falando de passar fome, não de não ter acesso a algum produto de consumo), a ascenção de uma nova classe média, que agora pode fazer faculdade, agora anda de avião, tudo graças ao governo do PT.

Isso enfureceu a antiga classe média, que guarda no Brasil uma forte herança colonial, que tem horror que o pobre ocupe os mesmos espaços que ela. Daí impulsionar esses novos movimentos da “direita liberal”.

O povo tem que abandonar essa noção que as forças armadas são instituições incorruptíveis, e que só pensam no interesse nacional. Havia sim corrupção (http://esquerdadiario.com.br/10-escandalos-de-corrupcao-da-ditadura-militar-abafados-pelas-Forcas-Armadas), mas por causa da censura a maioria dos casos não chegava a conhecimento do público. Os grupos no poder também não estavam ali defendendo os interesses nacionais (http://www.esquerdadiario.com.br/Por-que-a-ditadura-militar-nunca-teve-nada-a-ver-com-a-defesa-dos-interesses-nacionais).

O que ocorreria no caso de uma intervenção militar? Bem, vamos ver o contexto em que o Gen. Mourão falou da possibilidade de intervenção (https://www.poder360.com.br/brasil/em-evento-da-maconaria-general-do-exercito-propoe-intervencao-militar/). Isso mesmo, num evento da maçonaria! (esse link faz uma análise interessante sobre o caso: http://altamiroborges.blogspot.com.br/2017/09/o-general-mourao-e-maconaria-no-brasil.html) Além da maçonaria ser uma organização super conservadora, ela sempre busca interferir politicamente, sendo que vários grandes nomes da política são maçons. Isso para não falar da ligação entre maçonaria e os Illuminatti e a Nova Ordem Mundial!

Se houvesse uma intervenção militar, provavelmente haveria a instalação de um governo totalmente pró-elite e defensor dos interesses do capital internacional. Esqueçam a ilusão de que os militares criariam um país soberano. Não, nós seríamos cada vez mais as putas dos americanos. E o povo iria ser cada vez mais explorado, sem direito a aposentadoria, sem direitos trabalhistas, benefícios sociais, nada. Você vai trabalhar para sustentar a elite até morrer. E ai de você se reclamar! Vai parar num porão do DOI-CODI.

O que é necessário é uma intervenção popular. O povo se organizar e tomar o poder em suas mãos. Expulsar toda essa corja do poder e fundar uma república que trabalhe em defesa dos interesses da massa trabalhadora. Só assim vamos ter um país livre, soberano e justo!

Leave a Reply

Your email address will not be published.