Ração para pobre

E aí, o que você acha de comer ração? É, ao invés de comer arroz, feijão, carne, salada, você come ração para se alimentar. Para quê comer comida se você pode satisfazer suas necessidades alimentares com uma ração nutritiva. Afinal de contas, seu cachorro come ração e não reclama né?

Essa é a ração humana do Dória. É só moer um monte de comida quase vencida, encher de química, e pronto: você tem essas bolinha nutritivas. Além disso, pobre não precisa comer comida mesmo. Pobre não tem hábito alimentar, como diz o Dória.

Essa comida deve ser tão nojenta que até o secretário do Dória fez cara de nojo ao comer. É claro que ele deve estar acostumado com alimentos frescos, orgânicos. Talvez para quem passa fome deve ser bom. Quando você está com fome, qualquer comida é boa. Mas será que é justo que o pobre tenha que comer esse lixo, quando temos condições de fornecer uma alimentação de verdade para ele?

É que pobre não precisa comer bem. Pobre só precisa não morrer de fome para continuar sendo uma engrenagenzinha do sistema. E quando ele tiver um problema de saúde lá na frente por causa dessa merda que ele está comendo, foda-se, pobre nasce todo dia: morre um, nasce outro. Nunca vai haver escassez de mão de obra. Enquanto isso, a classe média e a elite vai se alimentar muito bem.

Se você parar para pensar sempre foi assim. Desde a antiguidade, por exemplo, carne era comida para os ricos. Para o pobre era só pão. Ele só precisava se manter de pé para trabalhar, não precisava de proteína para se desenvolver adequadamente. O Dória, como bom representante da elite colonial que é, só está continuando a tradição.